free web hosting | free website | Business Hosting Services | Free Website Submission | shopping cart | php hosting
1 Agosto 2008 - PORTUGAL DIÁRIO

Idosa recebe um euro de complemento solidário

Com 88 anos de idade, Joana Sampaio foi informada pela Segurança Social que vai beneficiar de um complemento à reforma no valor de um euro mensal, disse à Lusa a octogenária.

«Quando me leram a carta a dizer que ia receber um euro por mês, apeteceu-me atirar o papel contra a parede», disse à Lusa Joana Dias Sampaio, a reformada residente na freguesia de Delães, a quem foi atribuído o Complemento Solidário para Idosos (CSI).

Com 88 anos, viúva e uma vida dedicada à agricultura, Joana Sampaio recebe 299 euros de reforma.

«A Segurança Social enviou uma carta a informar-me que tinha direito ao complemento e os papéis para preencher», recordou a reformada.

Foi um genro que lhe «preencheu» os impressos e os seis filhos acederam a dar a fornecer cópias das declarações de IRS e os documentos necessários para juntar ao processo.

«Tanto trabalho para receber um euro», disse Joana Sampaio a rir.

Joana e os filhos ficaram confusos com a resposta da Segurança Social. «Informa-se V. Ex.ª de que o requerimento do Complemento Solidário para Idosos tem início em 2008/03, no montante de 1.00 euro», pode ler-se na carta.

«Ninguém queria acreditar que fosse tão pouco dinheiro porque, no início, até achávamos que era um cêntimo e não um euro», recordou.

O processo de candidatura ao complemento começou no dia 14 de Fevereiro de 2008 com o requerimento entregue na Segurança Social, em Braga.

«Não ando a pedir esmola»

No final do mês de Julho, Joana Sampaio ainda não tinha recebido qualquer cheque. Na carta enviada à octogenária com a notificação da decisão tomada pela Segurança Social, é referido que a importância só será paga «quando a soma de vários meses atingir o valor de 5,00 euros».

«Quando a carta vier acho que a vou devolver porque eu não ando a pedir esmola», referiu.

Sempre vestida de preto, embora seja viúva há perto de 30 anos, Joana Sampaio tem uma casa e uma horta. «A horta é que me vale para semear batatas e cebolas porque se tivesse que comprar essas coisas todas, não tinha dinheiro», disse a octogenária.

Toda a vida trabalhadora agrícola, a primeira reforma que teve foi de «três escudos». «É verdade que a vida tem melhorado e que a reforma aumenta todos os anos mas dar uma ajuda de um euro parece que estão a brincar com o povo», salientou a reformada.

O Complemento Solidário para Idosos é uma prestação monetária que se destina a cidadãos nacionais e estrangeiros com baixos recursos, com mais de 65 anos.